segunda-feira, 10 de novembro de 2008

CUBRO AS FERIDAS


Cubro as feridas, mas me engano
Pois feridas não podem ser cobertas
Procuro viver a vida, mas é você que eu amo
Esse sentimento, mantém a ferida aberta


Cubro as feridas, mas fico atento
Pois feridas não podem ser cobertas
Pode até aliviar no momento
Mas não é a reação mais certa


Cubro as feridas, mas tudo é em vão
Pois feridas não podem ser cobertas
Descobri que foi apenas um aranhão


Cubro as feridas, mas que feridas?
Se não existem feridas agora sim
posso viver minha vida.


(Flávio Cardoso Reis)

Um comentário:

Marcella :) disse...

Boa tarde Flávio
No Amor sempre vai ter dor,
As feridas são para ver a dor,
á Poeta o Amor é assim mesmo com muita dor.

Sem dor o que seria o Amor ?

adorei aqui
beijão
Marcella
17:03 hs
http://marcellavicente.blogspot.com